logotipo
35 anos de rock'n'roll

Conheça nossas redes sociais!

Música do Dia


THE BLACK DAHLIA MURDER - Nightbringers

  • Megadeth faz o básico e agrada na volta ao Rio de Janeiro

    Terça, 12 de dezembro de 2017
  • Eddie Vedder confirma show intimista em São Paulo

    Segunda, 11 de dezembro de 2017
  • Helloween fez duas apresentações em SP para gravação de DVD

    Sexta, 08 de dezembro de 2017

Iron Maiden: apresentação do grupo no Allianz Parque em São Paulo

IRON MAIDEN, ANTHRAX E THE RAVEN AGE

Allianz Parque, SP/SP (26/03/2016)

 

Texto por Angelo Costa Saggio (Metal Militia) e fotos por Caio Figueirôa Mathias

 

O Iron Maiden, banda que dispensa apresentações e figura entre as maiores bandas do rock/metal de todos os tempos, encerrou no último sábado sua turnê em nossas terras, passando por Fortaleza, Brasília, Belo Horizonte e Rio de Janeiro, além de Chile e Argentina na América do Sul. Estão em plena divulgação do novo álbum Book Of Souls e aqui em São Paulo, o show aconteceu no Allianz Parque onde os fãs esgotaram os mais de 42 mil ingressos.

 

Para muitos fãs do Iron Maiden, o Natal é no dia 12 de março, o dia em que Steve Harris nasceu e todo show é como se fosse um culto. O maior sexteto do planeta tem as lendas Bruce Dickinson – vocal, Steve Harris, o patrão, no baixo, o trio de guitarras Dave Murray, Adrian Smith e Janick Gers e fechando com o monstro das baquetas, Nicko McBrain.

 

De convidado, veio outra lenda aclamada Anthrax, thrash das antigas e componentes do Big Four ao lado de Metallica, Megadeth e Slayer. Estão desde 82 na ativa, lançando álbuns espetaculares como Spreading The Disease, Among The Living, State Of Euphoria e Persistence Of Time, só para citar alguns e em divulgação do For All Kings, lançado no mês passado.

 

À frente, temos as lendas Scott Ian na guitarra, com seus riffs mais que nervosos, Frank Bello nas quatro cordas, Charlie Benante nas baquetas (mas que não pode vir sendo substituído nos shows por outro grande baterista Jon Dette que já passou por Slayer, Impellitteri, Killing Machine, Testament, Heathen e Iced Earth, só para citar algumas bandas), Jonathan Donais do Shadows Fall na outra guitarra desde 2013 e fechando com o emblemático, mais que simpático, alma e vozeirão do Anthrax, Joey Belladonna.

 

Também para abertura do show, tivemos a banda do filho do patrão do Maiden, George Harris e seu The Raven Age que fazem um melodic groove metal, com George Harris na guitarra, Dan Wright na outra guitarra, Matt Cox no baixo, Jai Patel na bateria e Michael Burrough nos vocais. Até o momento, lançaram o EP The Raven Age, em 2014. Vamos aos shows:

 

The Raven Age

 

A banda pisou no palco às 18:50 e no primeiro acorde Michael Burrough já entrou no comando, agitando e mostrando o som Uprising, de muita melodia e altos backing vocals. Na cola, veio Promised Land, som mais melódico e técnico, com muita presença de palco de Michael Burrough. Na seqüência, tocaram The Death March, som com mais groove e Michael Burrough variando entre o rápido e melódico.

 

Um dos sons mais direto chegou com Eye Among The Blind,onde o destaque ficou por conta de Michael Burrough que desceu pra agitar na grade. Na cola, The Merciful One que começou meio balada e depois ganhou peso, ficando encorpada, com toda a banda agitando e o destaque ficou para George Harris com bons solos de guitarra.

 

Michael Burrough disse que logo mais teríamos Anthrax e Maiden e a galera foi à loucura. Em seguida, destilaram o melhor som da noite com riffs diretos batizado Salem’s Fate e fecharam com Angel In Disgrace.

 

Ao final, toda a banda agradeceu, principalmente Michael Burrough e finalizaram às 19:30, com 40 minutos de um boa surpresa e ótimo aperitivo.

 

Anthrax

 

Os reis do mosh entraram às 19:50 e já mandaram os riffs clássicos de Caught In A Mosh, dando início a destruição. Logo de cara, a banda quebrando tudo com altos backing vocals e Belladonna mandando muito bem, mostrando ótima forma. Num ritmo intenso, mandaram mais uma cacetada, a emblemática Got The Time, com aquele baixo clássico e Belladonna, um show a parte.

 

Belladonna disse “Vamos lá, São Paulo!” e puxou o coro para outro clássico, Antisocial, enlouquecendo a galera com um o refrão e Belladonna brincando com a voz fazendo analogia a Run To The Hills, do Maiden.

 

Som do álbum Worship Music pediu passagem com Fight ‘Em ‘Til You Can’t, com Belladonna mandando altos agudos e Jon Dette quebrando tudo, com backing vocals intensos, um som que podemos já considerar um clássico pois mexeu com a galera. Scott comentou do novo álbum e mandaram a canção Evil Twin, com aquela rifferama infernal que é marca registrada dele.

 

Belladonna anunciou que vinha som de 85 do álbum Spreading The Disease e destilaram Medusa para a alegria dos presentes que cantaram de ponta a ponta, com altos agudos de Belladonna. Na cola, mais som novo álbum com Breathing Lightning, sonzeira de muita melodia e técnica, refrão perfeito para chamar a galera para agitar no show.

 

Infelizmente, veio a última da noite e a bateria deu introdução para o clássico dos clássicos batizado desde 87 Indians, com participação de Andreas Kisser do Sepultura, com o refrão que incendiou a galera e ainda mandaram um pedaço de Refuse/Resist, deixando a galera bem feliz, terminando com muita intensidade às 20:40, com a banda inteira agradecendo, principalmente Scott que se mostrou bem feliz e emocionado com o carinho e agitação dos fãs.

 

Foi um pena terminar tão rápido; se tivesse mais três músicas, teria sido mais que perfeito.

 

Iron Maiden

 

Às exatas 21:20, saiu dos PAs a introdução com Doctor Doctor do UFO e a galera cantou o refrão com bastante intensidade e logo vieram as primeiras notas de If Eternity Should Fail. Bruce começou com sua vocalização e atiçou a galera.

 

Quando a banda entrou, todos foram à loucura e cantaram o som em uníssono, com Bruce pulando e Janick fazendo seus malabarismos.

 

Na cola, o hit do novo álbum Speed Of Light que, logo no primeiro acorde, levou todos à loucura, com Bruce perfeito, numa forma incrível e um baita solo de Adrian.

 

A clássica Children Of The Damned pediu passagem e arrepiou a galera com seu instrumental poderoso, com a banda quebrando tudo.

 

Mais duas do álbum novo, primeiro a empolgante e cativante Tears Of A Clown chegou para a galera acompanhar com seu belo refrão e uma quebradeira de baixo e bateria, mostrando uma banda em plena forma. Na sequência, o baixo de Steve anunciou a épica e longa The Red And The Black, com direito a coro em uníssono da galera, com riffs e solos classudos mostrando que acertaram a mão nesse álbum.

 

Bandeira de The Trooper ao fundo anunciou o clássico e Adrian entrou com seus riffs e Bruce trajado com sua roupa de gala para a ocasião e com a bandeira da Inglaterra, a plateia como um show a parte, fazendo os coros em uníssono.

 

Powerslave veio com seu riff de arrepiar e levou a galera ao êxtase e Bruce com sua máscara perfeita para a ocasião. Na hora do solo, emocionou ainda mais com Adrian e Dave fazendo o dueto, as viradas do Nicko e um refrão de deixar sem voz. Em seguida, mais do álbum novo com a viciante Death Or Glory que a galera tinha na ponta da língua.

 

Executaram então a faixa título do álbum novo, com o emblemático Eddie entrando e fazendo a alegria da galera. Bruce travou uma luta com o monstro, arrancou o coração e lançou em direção à platéia. Ao término, uma chama de fogo no palco simbolizou o fim da sonzeira, prova que o álbum novo pegou muito bem aqui no Brasil. Ao vivo, as músicas, mesmo longas, não cansaram a galera e a estrutura de palco marcante com pirotecnias e explosões com certeza ficará eternizada na mente dos fãs.

 

Em coro e palmas a galera acompanhou esse clássico épico e emblemático batizado Hallowed Be Thy Name, um dos melhores momentos do show, com Bruce levantando a galera. Na seqüência, tivemos “Ooooôo oôoo” e com os isqueiros pro alto, a galera acompanhou o hino Fear Of The Dark que, ao vivo, é imbatível e nunca pode faltar. Até os policiais do meu lado cantaram o som que deixou a galera ainda mais rouca.

 

Bruce disse seu bordão “Scream for me, São Paulo!” e lá veio a pancada e hino Iron Maiden, com a cabeça do Eddie se mexendo ao fundo, show super intenso ligado no 220 desde a banda e até os presentes.

 

Após uma pausa de alguns minutos, a voz emblemática de Barry Clayton anunciou o clássico The Number Of The Beast, com direito até um bode ao fundo e algumas explosões e os presentes cantando mesmo já sem voz de tão roucos.

 

A galera em coro gritando “Olê Olê, Maiden” e Bruce comentou que o público era fantástico e mandaram Blood Brothers para os presentes como uma homenagem da banda para o público, sempre nota 10.

 

A derradeira da noite veio com o hino Wasted Years para coroar a noite, com Bruce agitando e Adrian perfeito nos backing vocals, com uma grande cena de Bruce segurando um ventilador pro Adrian se refrescar.

 

Com todo sexteto reverenciando a galera num show mais que perfeito , finalizaram a apresentação às 23:15 com quase 2 horas de culto à Donzela de Ferro.

 

Setlist Iron Maiden

1 - If Eternity Should Fail

2 - Speed of Light

3 - Children of the Damned

4 - Tears of a Clown

5 - The Red and the Black

6 - The Trooper

7 - Powerslave

8 - Death or Glory

9 - The Book of Souls

10 - Hallowed Be Thy Name

11 - Fear of the Dark

12 - Iron Maiden

 

Bis:

13 - The Number of the Beast

14 - Blood Brothers

15 - Wasted Years

 

Setlist Anthrax

1 - Caught in a Mosh

2 - Got the Time

3 - Antisocial

4 - Fight ‘Em ‘Til You Can’t

5 - Evil Twin

6 - Medusa

7 - Breathing Lightning

8 - Indians

 

Setlist The Raven Age

1 - Uprising

2 - Promised Land

3 - The Death March

4 - Eye Among the Blind

5 - The Merciful One

6 - Salem’s Fate

7 - Angel in Disgrace

 

1.JPG 10.JPG 11.JPG 12.JPG 13.JPG 14.JPG 15.JPG 16.JPG 17.JPG 18.JPG 19.JPG 2.JPG 20.JPG 21.JPG 22.JPG 24.JPG 25.JPG 26.JPG 27.JPG 29.JPG 3.JPG 30.JPG 31.JPG 32.JPG 33.JPG 34.JPG 35.JPG 36.JPG 37.JPG 38.JPG 39.JPG 4.JPG 40.JPG 41.JPG 42.JPG 43.JPG 44.JPG 45.JPG 46.JPG 48.JPG 49.JPG 5.JPG 50.JPG 51.JPG 52.JPG 53.JPG 54.JPG 55.JPG 56.JPG 57.JPG 58.JPG 59.JPG 6.JPG 60.JPG 7.JPG 8.JPG 9.JPG

 

ATENÇÃO!!!
Para postar um comentário sobre esse texto, você precisa fazer seu LOGIN no site.

Próximos Shows
Sem Eventos
Busca no site