logotipo
35 anos de rock'n'roll

Conheça nossas redes sociais!

Música do Dia


PUNGENT STENCH - For God Your Soul... For Me Your Flesh

  • Cannibal Corpse e Napalm Death realizam turnê pela América Latina

    Quarta, 15 de agosto de 2018
  • Entrevista com Ratos de Porão, Bölzer e Converge em breve no ar

    Terça, 14 de agosto de 2018
  • Steve Perry: ex-vocalista do Journey anuncia novo disco

    Terça, 14 de agosto de 2018

Lenda Virgin Steele fez apresentação bárbara em Curitiba

VIRGIN STEELE

Music Hall, Curtiba/PR (24/06/2011)

 

Texto por Camila Buzzo e fotos por Andre Smirnoff

 

Pela primeira vez em Curitiba e no Brasil, os nova-iorquinos do Virgin Steele Virgin Steele (3)fizeram a alegria dos fãs presentes no Music Hall, após três longas décadas de carreira, na sexta-feira, 24 de junho. A banda precursora do epic metal, que influenciou largamente o surgimento do power metal, nos anos 80, uniu gerações de admiradores do estilo na capital paranaense. A banda iniciou a turnê sul-americana de seu mais recente álbum The Black Light Bacchanalia, lançado no ano passado, na Argentina, semana passada. Em seguida, os norte-americanos seguiram para uma única apresentação em São Paulo.

 

A abertura da casa se deu por volta das 22:00, com uma hora de atraso, por conta de problemas técnicos no som – que felizmente foram resolvidos. Os curitibanosVirgin Steele (5) do Dragonheart, após um longo tempo afastados dos palcos, se encarregaram de aquecer o público para a grande noite. Tocando clássicos do heavy metal e canções próprias, a banda preparava os presentes para a estridente e marcante voz de David DeFeis.

 

Os músicos entraram no palco perto da meia noite, a todo vapor. DeFeis já exibia toda a potência de sua voz, quando notamos que a banda estava sem baixista! O som, embora desfalcado, não tirou o brilho e a vontade de David DeFeis (vocal), de Josh Block (guitarra), Frank Gilchriest (bateria) e de Lynn Delmato (teclado) de propiciar aos fãs curitibanos uma noite épica. Pelo contrário, a presença de palco e a interação dos músicos com a platéia foi admirável.

 

Trazendo consigo todo o lirismo, romantismo e magia presentes em canções de Virgin Steele (6)mais de onze álbuns, o Virgin Steele trouxe a Curitiba um longo set list que fez a alegria dos fãs que há anos esperavam para ouvir a lenda ao vivo. Canções do novo álbum, como By the Hammer Of Zeus And The Wrecking Ball Of Thor, se mesclaram a hinos do metal, como Invictus, Noble Savage, Veni, Vidi, Vici, Emalaith, Victory Is Mine e The Burning Of Rome.

 

Para engrandecer a sensação de um espetáculo teatral ali encenado, por vezes as músicas se emendaram, dando a impressão de um grande (às vezes interminável)Virgin Steele ato. Também não foram poucas as vezes em que DeFeis, um dos músicos mais simpáticos que presenciei ao vivo, agradeceu o carinho o público. A certa altura do show, DeFeis explica que tentou vir ao Brasil anos atrás, mas que finalmente o Virgin Steele está tocando por aqui. “You rule!”, diz ele aos fãs, e se curva, como um cavaleiro num gesto de respeito e resignação.

 

Os curitibanos também puderam presenciar primorosos solos de guitarra, altas notas alcançadas pelo nosso vocalista e potentes bumbos duplos provenientes da bateria de Gilchriest. DeFeis, tamanha é sua movimentação no palco, diz que é uma noite quente em Curitiba, mesmo estando no inverno da capital mais fria do Brasil.

 

Nos instantes finais do show, após muitos aplausos e elogios dos fãs, DeFeis agradece, em nome do Virgin Steele, dizendo Virgin Steele (8)que estão todos muito felizes e que esperam voltar em breve para mais uma noite que entrará para a história do metal curitibano. Aqueles que perderam a chance de presenciar uma das lendas do heavy metal terão, quem sabe, uma chance para se redimir!

 
Próximos Shows
Sem Eventos
Busca no site