logotipo
35 anos de rock'n'roll

Música do Dia


OZZY OSBOURNE - Let Me Hear You Scresm

Tristeza dupla: morrem bateristas dos grupos C.O.C. e To/Die/For

Reed Mullin e Santtu Lonka morreram nesta semana: causas não foram reveladas.

Black Swan: superprojeto de hard rock reúne músicos consagrados

Novo supergrupo reúne músicos de Whitesnake, Dokken, Foreigner, Mr. Big, Ace Frehley e MSG.

Absu anuncia seu fim após briga com guitarrista que virou trans

Banda texana de black metal usa redes sociais para anunciar oficialmente seu fim.

  • Tristeza dupla: morrem bateristas dos grupos C.O.C. e To/Die/For

    Terça, 28 de janeiro de 2020
  • Black Swan: superprojeto de hard rock reúne músicos consagrados

    Terça, 28 de janeiro de 2020
  • Absu anuncia seu fim após briga com guitarrista que virou trans

    Terça, 28 de janeiro de 2020

Vital Remains: confira entrevista com o líder do grupo Tony Lazaro

 

Confira abaixo uma entrevista com o líder do Vital Remains, Tony Lazaro. Os veteranos do death metal estão prontos para a nova turnê mundial, que começará no Brasil e continuará pela América do Norte e Europa.

 

Por Miky Ruta

 

FAME: Ouvimos na turnê que vocês vão tocar algumas das primeiras demos. Diga-nos Tony, como é que tudo começou?

 

Tony Lazaro: Bem, vamos tocar algumas músicas antigas sim, dos velhos álbuns mas não demos. Também vamos tocar uma música que estará no novo album. Os fãs brasileiros serão os primeiros a conhecer esta nova música! Queríamos fazer esta turnê Anthology of Evil para celebrar o nosso aniversário de 26 anos. Então, queremos fazer uma turnê especial! Estaremos tocando de 75 a 80 minutos por show. Nós mal podemos esperar para tocar para todos os fãs, é uma verdadeira honra!

 

FAME: Qual é a situação dos membros da banda agora? Você pode nos dizer algo sobre as novas caras?

 

TL: Temos um novo baterista James Payne da banda Hour Of Penance. Ele traz uma velocidade rápida e brutal, além como sua atitude profissional. Ele se encaixa muito bem com a banda e estamos ansiosos para gravar com ele em breve. Na guitarra, temos um jovem talentoso, um verdadeiro “shredder” Dean Arnold direitamente do Canadá! Esse cara traz tanta energia e idéias para a família do Vital Remains. Ele está sempre tocando guitarra o dia inteiro, e nos estimula continuamente… Isso me faz lembrar de mim quando eu tinha a idade dele! (risos) Ele está tocando os solos tão bem que às vezes eu penso que nós estamos ouvindo o CD. (risos) Eu acho que este é um dos melhores line-ups do grupo desde o Dechristianize.

 

FAME: Temos ouvido há algum tempo de um novo álbum... mais alguma informação sobre ele, como a data de lançamento e/ou temas das novas músicas?

 

TL: Sim, nós temos a maioria das canções escritas e nós pensamos em gravar o novo álbum neste verão (hemisfério Norte). Queremos ter o álbum pronto no final de 2015.

 

 

FAME: Como você cresceu, musicalmente falando, desde o início?

 

TL: Bem, eu acho que nós temos crescido muito desde o início. Se você ouvir nossas primeiras gravações/álbuns, você pode ouvir que estávamos ficando melhor a cada álbum. Acho que é só um processo natural. Se você trabalha em algo por mais de 20 anos você vai ficar melhor e eu estou orgulhoso do meu trabalho. Algumas bandas começam bem e, em seguida, ficam fracas, eu acho que nós ainda estamos tentando ficar melhor e nós não esquecemos de quem somos e do que fazemos.

 

FAME: Qual é a música que você mais se identifica ou que você se sinte o mais emocionalmente ligado no momento?

 

TL: Dechristianize! Essa música será sempre especial para mim e ainda me dá uma sensação de quando eu a toco ao vivo e ouvir e ver os fãs reagir da maneira que eles fazem... é magia pura e eu acho que o mesmo diabo no inferno diria “Senta aqui ao meu lado, adoro essa po**a de música!” (risos)

 

FAME: Você está prestes a iniciar uma turnê mundial, você pode nos dizer o seu momento mais louco, enquanto na estrada?

 

TL: Por onde eu começo... (risos) Há tantas coisas que aconteceram em mais de 26 anos... Bem, pode ser que foi dessa vez, em 2008, quando fomos para a Venezuela, estavamos sendo conduzidos através das selvas por seis horas e nos disseram para ficar na van ou atirariam em nós! Acabamos apenas continuando bebendo e rindo, mas era uma coisa assustadora enquanto olhavamos para trás. Nossos motoristas tinham alguns machetes para nos proteger. (risos) Nós ainda vimos o Presidente Chavez e os nosso motorista mostrou-lhe o dedo médio e pensei que iriam nos matar! (risos) Havia grupos de extermínio que dirigem ao redor, e algumas pessoas que pareciam mortas na beira da estrada na selva. Carros com nenhuma luz ou para-brisas dirigindo como bêbados. Foi muito louco! Mas os fãs estavam tão felizes e nos trataram tão bem que acabou sendo um ótimo show!

 

FAME: Qual banda que você saiu em turnê mais gosta/acha mais inspirador?

 

TL: Isso é bem difícil, a turnê com o Deicide foi ótima! Também viajamos com o Cannibal Corpse. Além disso, tivemos o prazer de tocar com tantas bandas, tem algumas ocasiões que significaram muito para mim... A abertura para o Morbid Angel em 1989 foi destruidora! Chegar a abrir para o Deicide na turnê do álbum Legion foi incrível, e o festival com Venom em 1996 foi também demais!

 

FAME: Obrigado pelo seu tempo! Deixo um espaço para você falar com os fãs brasileiros.

 

TL: Muito obrigado pela entrevista! Um grande obrigado a todos os fãs pelo apoio! Espero ver todos vocês em breve e sair após o show e fazer festa! Obrigado, Brasil e viva o death metal! Saúde!

 

Fonte: FAME Enterprises

 
Busca no site