logotipo
33 anos de rock'n'roll

Edição Atual

Música do Dia


ENSIFERUM - Way Of The Warrior

  • Ouça agora o novo single de Robert Plant “The May Queen”

    Segunda, 21 de agosto de 2017
  • Black Sabbath: novo trailer do filme “The End of The End”

    Segunda, 21 de agosto de 2017
  • Six Feet Under: novo álbum “Torment” lançado no Brasil

    Domingo, 20 de agosto de 2017

Rhapsody: reencontro da formação (quase) clássica faz show histórico no RJ

RHAPSODY

Vivo Rio, RJ/RJ (06/05/2017)

 

Texto por Gustavo Maiato e fotos por Daniel Croce

 

Ao misturar letras sobre guerras medievais em mundos paralelos com heróis, dragões e espadas junto a boas doses de virtuosismo e uma generosa parede sinfônica ao fundo, o Rhapsody inovou e transcendeu a barreira da música em meados dos anos 90. Os italianos ganharam status de cultura pop para os amantes de RPG, Senhor dos Anéis, e todos os entusiastas da fantasia. Vinte anos depois da fundação na pequena cidade de Trieste, finalmente os fãs cariocas puderam ver a formação (quase) clássica tocando um set list dos sonhos com o álbum Symphony of Enchanted Lands na íntegra e outras músicas resgatadas da primeira metade da carreira da banda.

 

A nova turnê em comemoração aos vinte anos de carreira trouxe músicas nunca tocadas ao vivo como a progressiva Beyond the Gates of Infinity e a belíssima balada Wings of Destiny. Outros clássicos como Rain of a Thousand Flames e Dawn of Victory foram muito bem recebidos e ajudaram a manter o clima do show sempre lá no alto e bem nostálgico. Se a alma do Rhapsody sempre foi a guitarra de Luca Turilli somando forças com os teclados de Alex Staropoli, a ausência do veterano tecladista foi bastante sentida, não só pela sua forte presença, carisma e técnica, mas porque todos os teclados precisaram vir de gravações, empobrecendo um pouco o espetáculo. Staropoli alegou estar com total dedicação ao Rhapsody Of Fire, sua banda atual que na verdade é o Rhapsody original, uma grande confusão. Na verdade o show que emocionou os cariocas é uma fusão dos dois Rhapsody que existem atualmente (Rhapsody of Fire, o original e Luca Turilli’s Rhapsody, banda que o guitarrista formou ao sair de sua ex-banda).

 

No começo do show, um problema com a guitarra de Turilli logo quando a banda entrou no palco obrigou a banda a reiniciar tudo, mas o anticlímax foi logo esquecido quando Emerald Sword finalmente soou nos alto falantes limpa e cristalina. Fabio Lione cantou seu refrão mais famoso e muitas rodinhas de mosh já eram formadas ao ritmo frenético da bateria de Alex Holzwarth. Na sequência, Wisdom of the Kings agradou com suas passagens sinfônicas que tanto marcaram a sonoridade dos italianos. Eternal Glory veio em seguida respeitando a ordem do álbum Symphony of Enchantes Lands (o interlúdio praticamente só narrado Heores of The Lost Valley foi acertadamente riscado do repertório). Quando os uivos que precedem o riff de teclado de Beyond the Gates of Infinity foram entoados, Lione explicou que era a primeira turnê que eles tocavam essa música ao vivo. A canção mostrou que a banda está afiada, já que é repleta de viradas de tempo e riffs mais complicados.

 

Como o set list é exatamente o mesmo em todos os shows, alguns fãs já sabiam que a próxima música seria Knightrider of Doom, do álbum Power of the Dragonflame. Luca explicou em entrevista que o set não pode variar, pois todos os samplers com os sons de teclado já estão programados, impedindo uma flexibilidade nas músicas. Mais uma consequência negativa da ausência de Staropoli. The Dark Tower of Abyss também exige bastante da banda e suas melodias foram cantadas pelo público. Fabio Lione mostrou mais uma vez que é um artista diferenciado, trazendo a plateia para o show, conversando em português com os fãs e pedindo sempre palmas e gritos. O ponto negativo foi que nenhum dos outros músicos fez backing vocal, o que faria uma grande diferença em músicas como Wisdom of the Kings.

 

Riding the Winds of Eternity aumentou o ritmo e o peso, precedendo a música Symphony of Enchanted Lands, uma das melhores surpresas da noite. A banda removeu algumas partes narradas e deixou só o que era necessário. A música que tem mais de 10 minutos possui muitos climas diferentes, trocas de velocidade e a introdução que é praticamente uma oração cantada por Lione. Como acontece em 9 entre 10 shows de metal, um solo de bateria é sempre presente. Alex escolheu como música de fundo a canção Dias Irae de Mozart e desfilou seu repertório de viradas, sempre chamando o povo pra bater palmas junto. Voltando ao repertório, foi a vez de Land of Immortals, a solitária do primeiro disco Legendary Tales e que Lione curiosamente já admitiu não gostar da letra. O vocalista também tirou um tempo para cantar uma ópera em italiano, pedindo que todos acompanhassem seu registro grave. Os fãs bem que tentaram, mas a maioria ficou apenas observando a versatilidade do músico.

 

The Wizard’s Last Rhymes também é uma música que evidencia o vocal de Lione e foi a próxima da lista, com o refrão cheio de pausas em cima da Sinfonia Número 9 de Dvorak, mais conhecida como New World Symphony. Mais uma pausa para solos, dessa vez do baixista Patrice Guers, que hoje em dia toca no Luca Turilli’s Rhapsody. O músico também escolheu uma canção de fundo, dessa vez uma parte instrumental de Queen of the Dark Horizon, música do álbum Rain of a Thousand Flames. Patrice é bastante simpático e divertiu o povo servindo de aquecimento para Dawn of Victory, que botou a casa abaixo. No final do show, todo mundo ficou cantando o refrão da música em looping e batendo palmas, no maior estilo Valhalla do Blind Guardian.

 

Depois de uma breve pausa, Rain of a Thousand Flames e seu pulso frenético colocou todo mundo pra pular nas rodinhas. Luca Turilli ia de um lado para o outro do palco, sempre muito ativo e visivelmente feliz de tocar com seus ex-companheiros. Depois, Lamento Eroico mostrou mais uma vez a veia operesca de Lione. A música foi a primeira em italiano que a banda gravou e arrepiou com seu refrão épico. Para fechar, Holy Thunderforce foi uma ótima pedida, deixando um clima de satisfação entre a plateia, que pôde ver um set list sem defeitos. A reunião do Rhapsody mostrou que são sempre válidas turnês comemorativas que resgatam clássicos que não é todo mundo que já teve a oportunidade de ver ao vivo. Apesar de Luca Turilli insistir que essa é a última vez que ele vai tocar Emerald Sword ao vivo, fica a torcida por vindouras reuniões onde mais momentos épicos e emocionantes possam acontecer.

 

Antes do Rhapsody, a banda de power metal brasileira Armored Dawn fez a abertura e mostrou muita técnica e peso. A música Prison foi executada com o baixo de 6 cordas de Fernando Giovannetti e foi um destaque do show. O cover Rose Tattoo, do Dropkick Murphys, botou todos para cantar o seu refrão de fácil assimilação. O vocalista Eduardo Parras tem uma boa voz rasgada e grave que funciona bem na proposta da banda.

 

rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-10.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-11.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-12.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-13.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-14.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-15.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-16.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-17.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-18.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-19.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-2.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-20.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-21.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-22.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-23.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-24.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-25.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-26.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-27.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-28.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-29.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-3.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-30.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-31.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-32.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-33.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-34.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-35.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-36.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-37.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-38.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-39.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-4.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-40.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-41.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-42.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-43.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-44.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-45.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-46.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-47.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-48.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-49.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-5.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-50.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-51.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-52.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-53.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-54.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-55.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-56.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-57.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-58.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-59.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-6.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-60.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-61.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-62.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-63.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-64.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-65.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-66.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-67.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-68.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-69.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-7.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-70.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-71.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-72.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-73.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-74.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-75.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-76.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-77.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-78.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-79.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-8.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-80.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-81.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-82.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-83.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-84.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_-9.jpg rhapsody RJ vivo rio 06 05 2017_.jpg

 

ATENÇÃO!!!
Para postar um comentário sobre esse texto, você precisa fazer seu LOGIN no site.

Próximos Shows
Sem Eventos
Busca no site