logotipo
35 anos de rock'n'roll

Conheça nossas redes sociais!

Música do Dia


AT THE GATES - The Colours Of The Beast

  • Exodus comemora 40 anos com single raro

    Sexta, 19 de abril de 2019
  • Game polonês Down to Hell tem trilha e cenários heavy metal

    Quinta, 18 de abril de 2019
  • Michale Graves toca clássicos do Misfits no Brasil

    Quinta, 18 de abril de 2019
Erro
  • JFolder::files: Caminho não é uma pasta:

Megadeth: Um show curto, direto e recheado de hits!

 

MEGADETH

Espaço das Américas, 31/10/2017

Texto por Mari Franco e fotos por Pati Patah

 

Assim pode ser definida a segunda passagem do Megadeth por São Paulo na turnê do álbum "Dystopia".

Sem o palco completo  e com o Espaço das Américas longe de sua lotação máxima como no show do ano passado, Dave Mustaine e cia entraram no palco com a habitual "Hangar 18", música que definitivamente é perfeita para iniciar um show da banda!

Emendando com "The Threat Is Real" do álbum novo (com as cenas do belo vídeo clipe passando no telão ao fundo), o que tivemos em seguida foi uma sucessão de clássicos tocados direto e reto, para fã nenhum botar defeito: "Wake Up Dead", "In My Darkest Hour", "Trust", "Take No Prisioners", "Sweating Bullets", "She-Wolf", "Skin O'My Teeth", "A Tout Le Monde", "Tornado Of Souls", "Dystopia" (a outra única do último disco no set), "Symphony Of Destruction" (com a já tradicional participação do público na parte instrumental), a bela surpresa de "Mechanix" (um dos pontos altos do show!), e sem bis, com uma hora e meia de show, finalizaram com "Peace Sells..." e " Holy Wars... The Punishment Due".

Dave Mustaine falou pouco entre as músicas, mas disse que ano que vem vão gravar um novo álbum e que voltam para o Brasil para mais shows. A certa altura brincou com o público que fazia coro chamando pelo "Kiko" e que mudou para "Mustaine" quando este voltou ao palco e disse: "Vocês estavam chamando pelo Kiko! Continuem!".

Sobre a performance do Kiko Loureiro, é irretocável, irrepreensível, nenhuma nota fora do lugar como já seria de se esperar de um guitarrista do gabarito dele. Só é uma pena que ele não fale (ou não possa???) dizer nenhuma palavra aos fãs no microfone.

O show de abertura ficou a cargo do Vimic, a nova banda do ex baterista do Slipknot Joey Jordison. Mesmo ainda sem ter um disco lançado, a banda conquistou o pouco público que já havia chegado na casa com um show energético e muita simpatia do vocalista Kalen Chase, que além de conversar bastante com a platéia e demonstrar o quanto estavam felizes por tocar no Brasil, logo após o seu show circulou pela pista vip conversando e tirando fotos com todos que o abordavam.

Já Joey Jordison, a despeito de todos os problemas de saúde que enfrentou no último ano, continua sendo um monstro na bateria!

 
Próximos Shows
Sem Eventos
Busca no site