logotipo
35 anos de rock'n'roll

Conheça nossas redes sociais!

Música do Dia


RAINBOW - Lost In Hollywood

  • Delain e VUUR em Limeira: Holanda em dose dupla

    Terça, 21 de maio de 2019
  • Bonadia Fest reúne 15 bandas em SP

    Domingo, 05 de maio de 2019
  • Coletânea física e digital comemora os 50 anos do ZZ Top

    Sexta, 03 de maio de 2019
Erro
  • JFolder::files: Caminho não é uma pasta:

Ian Anderson’s Jethro Tull: confira como foi a apresentação em São Paulo

IAN ANDERSON'S JETHRO TULL

Teatro Bradesco, São Paulo, SP, 10/10/2017

Texto por Dionísio Febraio e fotos por Alexandre Macia

 

Sobre a apresentação do Ian Anderson´s Jethro Tull no Teatro Bradesco: impecável! Desfilando clássicos do Jethro Tull com incursões em algumas de sua carreira solo, Anderson comandou um espetáculo que já esperávamos, mas, sua música nos remete a tempos mui longínquos do passado e lembranças de um tempo não vivido. É sempre assim que funciona! Uma magia que nos eleva a outros mundos...


Anderson mostrava o que tinha nas mangas e encaixava uma a outra numa maestria singular, enquanto os telões projetavam "participações especiais" dos vocalistas que não estavam in loco, como em 2015.


Criando um clima de surpresa aliada ao sincronismo das montagens entre o ao vivo e o pré-gravado, resultando em uma ótima primeira parte onde tivemos entre outras Living The Past, Nothing Is Easy, Heavy Horses, Bouree, Too Old To Rock´n´Roll, Songs From The Wood e Thick As A Brick (esta em uma versão mais curta, mas de performance inabalável).


Depois de 15 minutos de pausa, o show continuou em grande estilo e ainda teve espaço para Clive Bunker, para o qual Ian dedicou a música Dharma For One, comentando do gosto que o baterista tinha pelo solo nesta música.


Outra surpresa muito boa no setlist foi Past Time With Good Company, do álbum Stormwatch, acompanhada por Sweet Dream, A New Day Yesterday, My God, Aqualung e a pérola do bis Locomotive Breath para fechar em alto nível, da qual o solo de piano fez o público gritar muito! Muitas pessoas cantando juntos extremamente animadas e se aproximando do palco pelos corredores. Um final de show excelente para um espetáculo digno da carreira de Ian Anderson e do Jethro Tull.

 
Busca no site