logotipo
35 anos de rock'n'roll

Conheça nossas redes sociais!

Música do Dia


BLACKMORE'S NIGHT - The Moon Is Shining

  • Delain e VUUR em Limeira: Holanda em dose dupla

    Terça, 21 de maio de 2019
  • Bonadia Fest reúne 15 bandas em SP

    Domingo, 05 de maio de 2019
  • Coletânea física e digital comemora os 50 anos do ZZ Top

    Sexta, 03 de maio de 2019
Erro
  • JFolder::files: Caminho não é uma pasta:
  • JFolder::files: Caminho não é uma pasta:
  • JFolder::files: Caminho não é uma pasta:

Foo Fighters em SP: solos de guitarra (e bateria, e baixo) vão nos conquistar

Queens Of The Stone Age e Foo Fighters

Allianz Parque, SP/SP (27/02/2017)


Texto por Marina Evangelista e fotos por Pati Patah

 

Em uma noite que parecia prometer chuva, choveram grandes hits do rock e muitas emoções. Um estádio que no início da noite parecia meio vazio, acabou transbordando de gente e de felicidade aparente. Entre a multidão que aos poucos chegava, apareciam pessoas com camisetas das mais diversas bandas - The Beatles, System of a Down, Nirvana, entre outras -, misturadas entre os ternos e gravatas de quem havia saído correndo do trabalho em plena terça-feira para não perder o que seria um grande espetáculo - de rock e de organização.

 

Para a abertura, os brasileiros do Ego Kill Talent. O quinteto formado por Theo van der Loo, Niper Boaventura, Jonathan Correa, Raphael Miranda e Jean Dolabella apresentou seu rock acelerado e sem posições fixas – apenas o posto de vocalista fica exclusivo a Jonathan Correa.

 

A banda Queens of the Stone Age subiu ao palco pontualmente e começou a aquecer os espectadores, que não pareceram animar-se tanto até que grandes hits como No One Knows, Make It Wit Chu e Go With The Flow apareceram para iniciar alguns coros entre a plateia. Sem grandes despedidas, a banda, que fez um show de alta qualidade, embora não muito enérgico, deixou o palco para o que seria o ponto alto da noite.

 

Dave Grohl e seus parceiros de longa data iniciaram o show com Run e, desde o primeiro riff, mostraram que não queriam deixar ninguém parado. Entre hits como All My Life, The Pretender e Best Of You e novidades como The Sky Is A Neighborhood, fizeram questão de envolver novos e antigos fãs. Brincadeiras, grandes solos improvisados de guitarra e bateria e lanternas de celular iluminaram a noite paulistana, que teve direito a hinos do rock como Another One Bites The Dust (Queen), Miss You (The Rolling Stones), Blitzkrieg Bop (Ramones) e Love Of My Life (Queen) enquanto a banda era apresentada ao público. Para os saudosos da bateria de Dave Grohl, Under Pressure (Queen), com os vocais de Taylor Hawking, pode ter sido a chegada ao nirvana. Como ninguém parecia querer ir embora – nem público, nem banda –, ainda sobraram três músicas para o bis, encerrando uma noite que, para os mais emotivos, chegou a ser uma experiência catártica.

 
Busca no site